Mercado de trabalho em 2015 é favorável a profissionais de finanças

O mercado de trabalho este ano tem seguido uma linha cautelosa quanto a investimentos e controle financeiro por parte das organizações. O cenário anda favorável aos profissionais de finanças, já que é a área que mais está em evidência nas empresas.

Recrutadores entrevistados pela Exame afirmaram que boa parte das empresas não conseguiu bater suas metas no ano passado, tornando necessária a presença de um profissional para organizar este objetivo e realizar a gestão financeira da empresa, maximizando sua rentabilidade.

Gerente ou diretor de planejamento financeiro, gerente de planejamento tributário, gerente ou diretor de compliance e controles internos, controller, diretor financeiro e executivo de governança corporativa são alguns dos cargos que se manterão em alta este ano.

As funções exigem graduados em Administração, Economia, Engenharia ou Ciências Contábeis, além de pós-graduação na área financeira. Conheça as grades de curso da FIPECAFI e aprimore seu currículo para uma carreira de sucesso.

Graduação em Ciências Contábeis 

MBAs

 

Fonte: Portal Exame

Carreira internacional: o momento é agora

Profissionais das áreas de contabilidade, controladoria e finanças que sonham com uma carreira profissional no exterior, já podem começar a pensar no que vão levar na mala.

Foi divulgado um ranking, pela consultoria de recursos humanos Glassdoor, com uma lista composta por 25 profissões que estão em alta nos Estados Unidos, neste momento. Dentre elas, quatro envolvem as áreas comentadas anteriormente: gerente de novos negócios, gerente financeiro, analista de negócios e gerente de auditoria.

O caminho que levou ao resultado foi baseado em três fatores, retirados da base de dados da consultoria, como:

1)      Ganhos em potencial, de acordo com o histórico de rendimentos anuais dos profissionais;

2)      Um índice que analisa oportunidades de carreira;

3)      O número de oportunidades disponíveis para cada carreira.

Confira o número de vagas e o salário médio anual para as carreiras relacionadas à economia:

  • Gerente de novos negócios

Vagas: 11,616

Salário anual: US$ 94,907

  • Gerente financeiro

Vagas: 9,728

Salário anual: US$ 122,865

  • Analista de negócios

Vagas: 21,337

Salário anual: US$ 74,638

  • Gerente de auditoria

Vagas: 4,585

Salário anual: US$ 69,271

Qualifique-se e amplie suas oportunidades na carreira! Conheça os MBAs da FIPECAFI.

A importante decisão de atuar no setor público

A crise financeira de 2008 ocasionou incertezas na economia, aumentando o número de recém-formados que planejam obter estabilidade através da carreira no setor público. Dados divulgados pelo IBGE, sobre o ano de 2012, divulgaram que o governo brasileiro empregava cerca de 3,2 milhões de pessoas.

Considerada a maior motivação deste tipo de trajetória, a estabilidade contraria a busca por uma carreira profissional desafiadora e a oportunidade de contribuir diretamente na edificação de políticas para um Brasil melhor. Quem pensa que atuar no setor público é sinônimo de pouco trabalho, engana-se. As questões mais complexas estão concentradas na esfera pública.

Os gestores exigem formação acadêmica específica e qualificada, para modernizar o serviço oferecido à sociedade. Querer fazer a diferença e se contentar com conquistas diárias são dois pontos importantes para fazer carreira no setor público. Muitas vezes os profissionais têm seus projetos impedidos ou modificados devido a empecilhos, como cortes no orçamento e conflitos políticos. Nestes casos é preciso “pensar fora da caixa” e buscar formas inovadoras para pôr o projeto em prática.

Se você exerce ou tem interesse em exercer atividades relacionadas às áreas de gestão, planejamento, orçamento, controle interno, controle externo, licitação e contratos, conheça o MBA Contabilidade Pública da FIPECAFI. Adquira conhecimentos sobre as normas brasileiras e internacionais de contabilidade aplicadas ao setor público.

Matriculando-se até 27/02 você ganha 5% de desconto! Confira as condições com a nossa central de informações: (11) 2184.2020 ou comercial@fipecafi.org.

Controller e tributação são áreas demandadas em 2015

Para acompanhar as mudanças do mercado, diversas empresas têm iniciado processos de estruturação e reestruturação, além da implementação de controles e processos para um crescimento sólido e rentável. Essas transformações têm beneficiado profissionais graduados em Ciências Contábeis, Administração, Economia e Direito, gerando muitas oportunidades.

Após analisar o cenário econômico do Brasil e do mundo, a empresa de recrutamento Michael Page destacou três cargos em áreas relacionadas a finanças como as mais demandadas pelo mercado em 2015. Confira:

1)      Controller

Responsável pela gestão contábil, fiscal, coordenação e direção das atividades executadas nas áreas de planejamento, controladoria e finanças. A demanda por essa qualificação foi intensificada após a implementação das IFRS na contabilidade brasileira.

2)      Gerente de Planejamento Tributário

Acompanha e garante a apuração e o planejamento dos tributos em todas as esferas, atuando de acordo com a legislação fiscal e atendendo às auditorias. Além disso, ainda participa de processos decisórios da organização sobre aquisições, cisões, incorporações e vendas. A complexidade da matriz tributária brasileira exige uma demanda de profissionais qualificados na área.

3)      Gerente de Desenvolvimento de Negócios

Prospecta e lidera projetos de negócios ainda não explorados, com o objetivo de captar novas fontes de receita para a empresa. Responsável por gerar novos contratos a partir do desenvolvimento de nova aplicação para produto ou serviço.

Para alcançar estes cargos, os profissionais precisam se qualificar. A FIPECAFI oferece cursos específicos: MBA Controller e MBA Gestão Tributária.

Matricule-se até 27 de fevereiro e garanta 5% de desconto no valor total do curso. Aproveite!

Fonte: Guia do Estudante

FIPECAFI divulga demonstrações financeiras

A FIPECAFI (Fundação Instituto de Pesquisas Contábeis, Atuariais e Financeiras) realizou tradicional reunião de final de ano com professores, pesquisadores, consultores, funcionários, estagiários e jovens aprendizes, em 18 de dezembro de 2014, da 14:00 às 14:30.

O Prof. Dr. Iran Siqueira Lima, presidente da FIPECAFI, liderou a reunião para apresentar as demonstrações contábeis encerradas em 30 de novembro de 2014 (disponibilizadas no site) e foi debatido estágio de processos de novos cursos em análise no MEC.

“As apresentações periódicas das demonstrações financeiras da FIPECAFI estão dentro dos princípios de transparência e prestação de contas da Fundação”, concluiu o Prof. Dr. Iran Siqueira Lima.

Participe de um grande encontro para discutir e aprender sobre contabilidade

Evento reúne profissionais e alunos em busca de trocas de experiências e conhecimentos

No dia 24 de setembro, a partir das 19 horas, a FIPECAFI fará um workshop com o tema “A Nova Contabilidade”, realizado pelo Programa de Pós-Graduação – Mestrado Profissional FIPECAFI. O encontro contará com os palestrantes:

– Prof. Iran Siqueira Lima: abertura e apresentação do curso;

– Prof. Sérgio de Iudícibus: palestra “Rumo à Contabilidade Econômica ou a Volta à Nobre Origem”;

– Prof. Eliseu Martins: palestra “Como Interpretar os Demonstrativos Financeiros na Nova Ordem Contábil”;

– Prof. Nelson Carvalho: mediador que fará um resumo das apresentações e questões.

 

Local: 24 de setembro

Data: 19h

Informações: (11) 2184-2020

Faça a sua inscrição pelo endereço: eventos@fipecafi.org

Ou através da nossa página de inscrições: http://mkt.fipecafi.org/landings/workshops/

FIPECAFI comemora 40 anos

A FIPECAFI (Fundação Instituto de Pesquisas Contábeis, Atuariais e Financeiras) comemorou, na noite de 1º de agosto de 2014, 40 anos de existência com grande festa de confraternização, reunindo conselheiros, diretores, funcionários, colaboradores, representantes de entidades de classe e imprensa, no Club Homs, em São Paulo (SP).

O Prof. Dr. Iran Siqueira Lima, presidente da FIPECAFI, em seu discurso enfatizou que a Fundação é “um ser vivo que o tempo todo busca projetos inovadores. E os professores também são assim: estão de olho em oportunidades diferentes, dentro e fora do Brasil. O compartilhamento de dados enriquece a Fundação, torna-a atraente, dinâmica, visionária”.

O Prof. Dr. Sérgio de Iudícibus, membro do Conselho Curador da FIPECAFI, destacou que o século 21 é o “século da Contabilidade, da informação, da transparência”.

Os presentes foram honrados também com o discurso do Dr. Airton Grazzioli, Promotor de Justiça e Curador de Fundações de São Paulo. Grazzioli declarou que é “motivo de alegria completar e lembrar os 40 anos de história”. A FIPECAFI foi criada em um momento que o Estado se bastava a si próprio, mas ao mesmo tempo buscava-se flexibilidade com a criação de fundações de apoio a pesquisas e ensino. Hoje, o professor universitário amplia a atuação de suas barreiras geográficas por meio do ensino a distância em tempo real num momento de globalização. A FIPECAFI tem desempenhado com excelência a sua função de apoio ao Departamento de Contabilidade e Atuária da FEA-USP, concluiu o Dr. Airton Grazzioli.

Reconhecimento internacional – Fundada em 1º de agosto de 1974 por Professores do Departamento de Contabilidade e Atuária da FEA-USP (Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo), a instituição é centro de referência em pesquisa e educação nas áreas de contabilidade, finanças, mercado financeiro, atuária e agora também em educação a distância com o reconhecimento internacional conferido ao Curso Online de Extensão em IFRS e NIA como Curso Exemplar no Catalyst Award 2014, evento promovido pela Blackboard Internacional para reconhecer as instituições que servem como exemplo de inovação no campo da educação. A FIPECAFI foi a única instituição brasileira reconhecida na categoria Curso Exemplar e, na edição de 2014, a única representante latino-americana entre os ganhadores.

O curso reconhecido é parte do Projeto de Harmonização das Normas Internacionais de Contabilidade e de Auditoria, executado pela FIPECAFI em parceria com Ibracon (Instituto dos Auditores Independentes do Brasil) e apoiado pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID/FOMIN) e que, busca, entre outros objetivos, fornecer programa robusto de atualização em normas internacionais de contabilidade e auditoria gratuitamente a professores de cursos de graduação em contabilidade no país. Assim, a FIPECAFI comemora seus 40 anos contribuindo para o desenvolvimento da área de negócios no país.

Homenagem – O Prof. Dr. Iran Siqueira Lima, presidente da FIPECAFI, realizou na ocasião homenagem a alguns funcionários que colaboram com a FIPECAFI há 20 anos ou mais, desejando que a parceria com a fundação continue por outros tantos anos. Foram homenageados com pequena lembrança e o muito obrigado da diretoria pela dedicação demonstrada: Mario Fernandes, Jadilson Silva, Julia Barker e Liliane Neves.

Revista – Durante o evento comemorativo, houve também o lançamento da Revista FIPECAFI, que é eletrônica e voltada para o contador no dia a dia, para professores e alunos.

Livro – Foi distribuído aos presentes o livro “40 Anos de Formação e Disseminação do Conhecimento”. O livro conta a história dos desafios e realizações com depoimentos de líderes e colaboradores. A FIPECAFI tem se desenvolvido com a oferta de cursos de curta e longa duração, ensino a distância, consultorias, pareceres técnicos e direitos autorais (provenientes de livros hoje na casa de 4 milhões de exemplares). Hoje a FIPECAFI adquiriu a robustez idealizada por seus instituidores, em especial o Prof. Antônio Peres Rodrigues Filho, e praticamente adquiriu a maturidade ao receber do Ministério da Educação a autorização para funcionar na forma de Faculdade, oferecendo o curso de Graduação em Ciências Contábeis, afirma o Prof. Dr. Iran Siqueira Lima.

O livro conta com uma série de depoimentos. O Prof. Dr. Nelson Carvalho afirma: “Tudo o que um departamento de universidade de primeiro mundo oferece – participar de congressos internacionais, trazer professores estrangeiros, financiar livros, teses e pesquisas – aqui no Brasil, contamos com o auxilio da FIPECAFI“.

O Prof. Dr. Eliseu Martins destaca que: “A FIPECAFI nasceu com a filosofia de servir como fonte de trabalho, de dinheiro, de experiência para professores e alunos. Ela sempre oferece a oportunidade de aprender, ensinar, treinar”.

“São 40 anos de muito trabalho. Começamos numa sala de 12 metros quadrados e hoje estamos num edifício próprio de 12 andares. Nossa preocupação foi desenvolver bem cada projeto, cada curso, e o resultado apareceu. O Manual de Contabilidade, o prêmio Melhores&Maiores, o Troféu Transparência. Oferecemos sempre o melhor para os profissionais”, declara o Prof. Geraldo Barbieri.

 

Em agosto a FIPECAFI completa 40 anos de tradição no ensino

A instituição tem orgulho da importante participação na carreira dos alunos e pesquisas no mercado 

No próximo mês, a Fundação Instituto de Pesquisas Contábeis, Atuariais e Financeiras, completa 40 anos de um trabalho responsável e eficaz nas áreas de contabilidade, economia, finanças e afins.

Sempre inovando, a instituição cresceu e modernizou o ensino, criando novas formas e níveis de passar todo o conhecimento necessário para seus alunos. O corpo docente é composto por professores doutores e mestres em sua maioria titulados pela FEA/USP em contabilidade e áreas afins, com experiência no mercado e na docência de pós-graduação lato sensu (MBA). Além disso, a FIPECAFI tem grande presença nas pesquisas mais recentes e importantes da área, contando com profissionais atuantes e renomados.

Visite nosso site, conheça nossa missão e valores e venha fazer parte dessa história de sucesso! Clique aqui.

 

Graduação em Ciências Contábeis para alunos já graduados

Curso contempla formados em especialidades que ofereçam sólida base de conhecimentos na área

A FIPECAFI oferece um curso de graduação em Ciências Contábeis para profissionais diplomados em administração, economia, estatística, engenharia e direito, com tempo reduzido. Por meio da eliminação de disciplinas cursadas anteriormente, a duração prevista do curso passa a ser de dois anos, exceto para os profissionais formados em direito, que levarão aproximadamente dois anos e meio. A matriz curricular obrigatória é composta pelas principais disciplinas da tradicional graduação em Ciências Contábeis da FIPECAFI, necessárias para que o aluno possa desenvolver ainda mais seus conhecimentos na área e, posteriormente, adquirir o seu registro no CRC (Conselho Regional de Contabilidade).

Se você se encaixa no perfil, aproveite esse oportunidade! Saiba mais sobre o curso em nosso site. Clique aqui.

Primeiro semestre de 2014 terá menos empresas endividadas

Inadimplência das empresas deve cair até o fechamento do período

O professor da FIPECAFI, Silvio Paixão, falou ao DCI (Diário Comércio Indústria e Serviços) que as empresas devem estar mais conservadoras e prudentes, nesse primeiros seis meses do ano, para quitar dívidas e restabelecer a normalidade dos índices de inadimplência. Ele espera um controle mais efetivo dos fluxos de caixa e melhor acompanhamento do desempenho das vendas.

Em janeiro deste ano, a inadimplência das empresas cresceu 11,3% em relação a dezembro de 2013, de acordo com dados fornecidos pela Serasa Experian. Na comparação de janeiro de 2014 contra o mesmo mês de 2013, o indicador também apresentou alta anual de 11,1%.

Segundo o professor, o crescimento da inadimplência denota que o nível de atividade econômica não cresceu como o esperado: “Isso acaba tendo como resultado atrasos e incapacidade de honrar os compromissos”. Ele avalia ainda que os dados divulgados pela Serasa Experian estão muito além do aguardado. Para Silvio, a inadimplência do consumidor, que também aumentou no período, reflete nas pequenas empresas. “Quando as empresas recebem menos que o esperado, seus títulos não serão pagos”, disse.

 

Fonte: DCI | 27.02.14

Tese sobre Custeio Alvo orientada por professor da FIPECAFI é premiada no CRC SP

custeio_alvo_target_costing

Às 19h de hoje, 16 de dezembro de 2013, professores da FIPECAFI (Fundação Instituto de Pesquisas Contábeis, Atuariais e Financeiras) e da FEA-USP (Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo) serão homenageados  no “Prêmio de Teses e Dissertações” do CRC SP (Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo).

A premiação ocorrerá na sede do CRC SP, na Rua Rosa e Silva, 60 – Torre III, Teatro Hilário Franco, em São Paulo (SP).

O uso do custeio alvo à luz da Teoria da Contingência e da Nova Sociologia Institucional é o tema de uma das teses premiadas. De autoria da Profª. Drª. Kelly Cristina Mucio Marques e sob orientação do Prof. Dr. Wellington Rocha, da FEA-USP e da FIPECAFI, o trabalho, intitulado “Custeio alvo à luz da teoria da contingência e da nova sociologia institucional: estudo de caso sobre sua adoção, implementação e uso” investiga as deduções e inferências que podem ser extraídas acerca da adoção, implementação e uso do Custeio Alvo à luz da Teoria da Contingência e da Nova Sociologia Institucional.

Abaixo, segue o resumo do trabalho:

A pesquisa teve como objetivo investigar as deduções e inferências que podem ser extraídas acerca da adoção, implementação e uso do Custeio Alvo à luz da Teoria da Contingência e da Nova Sociologia Institucional. Como estratégia de pesquisa utilizou-se estudo de caso interpretativo em uma subsidiária denominada Alfa, usando técnicas de pesquisa documental e entrevista semi-estruturada, sendo o discurso tratado via análise de conteúdo.

Em relação à Teoria da Contingência os achados evidenciaram que o processo do Custeio Alvo é aplicado em todos os projetos de desenvolvimento de produtos, que é uma atividade chave para a Alfa de acordo com suas estratégias, para controlar os custos variáveis considerando o preço de mercado e a margem objetivada pela organização.

Quando o produto começa a ser fabricado é feito o acompanhamento entre o esperado e o realizado (com rígido controle de custos via custo padrão, integrado com a avaliação de desempenho e o sistema de compensação), fornecendo evidências da integração e coordenação entre planos, ações e resultados. Poucos dos fatores contingentes presentes na Alfa apresentaram diferença em relação ao que a literatura trata como adequado (estes envolveram a baixa incerteza ambiental, a padronização de produtos e a combinação de estratégias encontrada) e nenhum deles foi considerado inadequado ou com possibilidade de inibir a utilização do Custeio Alvo.

Foi verificado o uso do tipo interativo, a satisfação com o Custeio Alvo e a percepção de sua utilidade. As Conclusões foram: o Custeio Alvo é uma prática gerencial compatível com posturas estratégicas conservadoras, como defensora e mantenedora, e que essa opção não conflita com a postura de diferenciação; é difícil senão impossível estabelecer, a priori, correlações, biunívocas ou não, entre o uso de determinadas práticas de Controle Gerencial e determinadas posturas estratégicas; necessidade de analisar o fator incerteza ambiental juntamente com outros fatores.

Em relação à Nova Sociologia Institucional as análises indicaram que o mecanismo coercitivo foi o responsável pela adoção do Custeio Alvo na Alfa e as evidências mostraram uma associação entre a estrutura e as ações (resposta do tipo coupling) ressaltando o perfil cognitivo, indicando uma estreita relação entre meios e fins e uma consistência da prática com os valores e crenças da organização.

As evidências apontaram que o aspecto econômico embasou a forma de interpretação resultando na crença sobre a validade técnica do Custeio Alvo. Uma das conclusões relacionadas à investigação do processo de institucionalização foi que nos casos em que a difusão se apresenta eminentemente da forma coercitiva, os mitos, as regras e as normas institucionais podem determinar a estrutura, mas não necessariamente as rotinas. As evidências apontaram que a mudança nas rotinas depende da interpretação que os atores fazem das mesmas, construindo as respostas de modo a acomodar as conveniências e interesses tanto do ambiente externo quanto interno. Esta conclusão difere dos estudos de Nor-Aziah e Scapens (2007) e Siti-Nabiha e Scapens (2005).

Os resultados na Alfa sugerem que a rotina (e não a estrutura) parece ser alvo de mudança quando a interpretação da instituição levar ao entendimento e à significação com base em sua validade técnica e não em sua validade simbólica. Por isso, o significado das instituições em contextos específicos depende da interpretação e da agência dos atores envolvendo os interesses e pressões sofridas. Uma das implicações desse raciocínio é que mesmo tendo suas bases fundamentadas na obtenção de eficiência, as práticas da Contabilidade podem não ser entendidas e significadas dessa forma em todas as organizações e outros fatores como os institucionais e as características da organização podem influenciar essa interpretação. Em relação aos achados com base na Nova Sociologia Institucional, destaca-se a originalidade do uso da abordagem recursiva nos estudos sobre os Sistemas de Controle Gerenciais, e mais especificamente da Contabilidade Gerencial e do Custeio Alvo, tanto no Brasil quanto no exterior.

Faça o download da tese clicando aqui!