Conheça os cargos mais bem pagos na área financeira e de seguros

Crise ou freada econômica são fenômenos que parecem não acontecer para alguns cargos muito especializados, segundo um levantamento realizado pelo PageGroup.

A pesquisa revelou os cargos que oferecem os melhores salários para executivos, gerentes e analistas. De maneira geral, as funções exigem habilidades específicas e aprofundadas.

Conheça os cargos na área financeira mais bem remunerados:

  • Diretor Administrativo Financeiro – até 50 mil reais;
  • Diretor Executivo do Mercado de Seguros e Resseguros – até 50 mil reais;
  • Diretor Tributário – até 50 mil reais;
  • Controller Regional – até 35 mil reais;
  • Gerente Tributário Sênior – até 30 mil reais;
  • Superintendente Comercial de Seguros e Resseguros – até 25 mil reais;
  • Analista Tributário Sênior – até 9 mil reais.

Como a procura é maior que a oferta de profissionais realmente qualificados, os salários acabam se elevando.

Faça parte desse grupo seleto, invista em cursos de MBA e Especialização da FIPECAFI e tenha o seu trabalho valorizado. Conheça as grades e escolha o curso que mais tem a ver com a sua carreira.

MBA

Especialização

Fonte: Portal da Exame

FIPECAFI promove palestra sobre Convergência aos Padrões Internacionais de Contabilidade no Setor Público

A FIPECAFI (Fundação Instituto de Pesquisas Contábeis, Atuariais e Financeiras) promoveu, em 03 de outubro de 2015, das 15 horas às 17 horas, palestra de Leonardo Silveira do Nascimento, Coordenador-Geral do Tesouro Nacional sobre Normas de Contabilidade Aplicadas à Federação, sobre “Avanços e Desafios da Regulação e Prática da Contabilidade Aplicada ao Setor Público em Padrões Internacionais”.

A Profa. Dra. Patrícia Siqueira Varela abriu o evento fez a apresentação do palestrante e breve relato sobre as disciplinas do MBA Contabilidade Pública da FIPECAFI para público especializado, que lotou o auditório da Fundação. A Profa. Dra. Patrícia Varela elogiou o objetivo de implementar as normas contábeis internacionais para disponibilizar todos os dados da federação obtidos pelo Tesouro para a sociedade em geral.

Leonardo Silveira do Nascimento iniciou a palestra agradecendo a oportunidade de disseminar o conhecimento sobre os avanços da regulação e prática da contabilidade aplicada ao setor público.

O processo de adoção de regras e procedimentos contábeis sob uma mesma base conceitual objetiva a comparabilidade da situação econômico-financeira de vários países ou de entidades do setor público nacional e internacional”, declarou.

O Prof. Dr. Iran Siqueira Lima, Presidente da FIPECAFI, destacou os desafios para a implementação das normas internacionais de contabilidade para o setor público dentro dos princípios de consolidação, transparência, controle e verificação.

O Tesouro Nacional tem o objetivo, também, de firmar parcerias com Tribunais de Contas e com órgãos da administração pública federal para o uso da linguagem XBRL. A XBRL (na sigla em inglês Extensible Business Reporting Language) é uma tecnologia criada em 1998, que permite a automação do processo de divulgação de envio e recepção de relatórios, a respeito da posição econômica financeira e contábil. O XBRL não pretende alterar o conteúdo das informações, que já são enviadas a órgãos reguladores e do governo, mas permitirá uma conversão para essa tecnologia que qualquer sistema, em qualquer língua, poderá compreender.

Pesquisadores e representantes da CVM (Comissão de Valores Mobiliários), BM&FBOVESPA, entre outros, têm buscado acompanhar a experiência do Tesouro Nacional na implantação do sistema XBRL como forma de coleta de dados contábeis.

Leonardo Silveira do Nascimento, que também é membro do IPSASB/IFAC (International Public Sector Accounting Standards e Board junto à International Federation of Accountants), afirma que o Tesouro Nacional irá “trabalhar fortemente na implantação dos procedimentos patrimoniais, ou seja, o recheio do plano de contas obrigatório”.

Temos uma contabilidade com foco orçamentário, mas agora teremos um plano de contas novo. Para isso, o Tesouro Nacional deve lançar para consulta pública em maio de 2015 no Grupo Técnico de Procedimentos Contábeis um documento sobre a estratégia para implementação dos procedimentos patrimoniais”, afirmou. Na ocasião, deverá haver discussões sobre outros assuntos relevantes como rendimentos negativos dos regimes próprios de previdência. Esse será um documento de referência e virão portarias do Tesouro Nacional fixando prazos, observou.

No Fórum há a oportunidade de expressar experiências práticas para que se reflita na 7ª edição do Manual de Contabilidade Aplicada ao Setor Público, que está em elaboração. “Qualquer estabelecimento de normas exige o processo contínuo de revisão e aprimoramento”, concluiu Leonardo Silveira do Nascimento.

Links úteis:

http://www.fipecafi.org/mba/mba-contabilidade-publica.aspx

www.stn.fazenda.gov.br

cconf.df.stn@fazenda.gov.br

Twitter: @_tesouro

Acesse o Fórum da Contabilidade

Acesse o Siconfi 

Receita Federal abre o prazo de entrega de declarações de Imposto de Renda

As entregas do Imposto de Renda da Pessoa Física 2015 começaram nesta segunda-feira, 2 de março, e o prazo estende-se até o dia 30 de abril. Logo no primeiro dia, o Fisco recebeu 86 mil declarações até as 17 horas. Vale lembrar que o programa da Receita Federal pode ser baixado pelo computador ou por plataformas mobiles, como smartphones e tablets.

Apesar de ser de fácil preenchimento, a declaração de IR deve ser realizada com muita atenção devido à quantidade de detalhes. Informações sobre dependentes ou despesas de saúde e educação aumentam o valor da restituição, mas devem ser exatas, visto que a Receita Federal cruza as informações recebidas. Confira algumas regras:

  • O contribuinte deve lembrar-se de solicitar o número do CPF para profissionais liberais ou o do CNPJ, em caso de clínicas, por exemplo.
  • Não deve haver duplicidade de dependes, ou seja, dois parentes diretos não podem declarar a mesma pessoa, como é o caso de casais separados e seus filhos.
  • Notas fiscais e recibos de pagamento devem ser guardados por cinco anos, conforme o prazo de notificação da Receita.
  • Por se tratar de saúde e serviços de educação mais convencionais, em despesas dedutíveis estão exclusos: nutricionista, curso de inglês, aulas de música, natação e outros esportes.

Declaração completa ou simplificada?

Se você tem poucas despesas dedutíveis, opte pela simplificada. O desconto é de 20% e se limita a R$ 15.880,89. Caso seus gastos médicos excedam o valor limite do desconto ou você não queira fazer cálculos, opte pela declaração completa.

Lembrando

Os contribuintes que enviarem suas declarações no início do prazo, sem erros, omissões ou incoerências, caso tenham direito à restituição do IR, o receberão mais cedo.

Caso você ainda esteja fazendo o seu, fique atento aos erros mais comuns e às novas regras.

Fortalecimento do mercado de capitais é a principal meta da ANBIMA em 2015

O encontro anual para a reavaliação do planejamento estratégico do triênio vigente do mercado de capitais ocorreu em dezembro do ano passado. A presidente da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (ANBIMA), Denise Pavarina, declarou que a principal meta deste ano será o fortalecimento do mercado de capitais.

A reavaliação do projeto, chamado provisoriamente de ANBIMA 2020, registrou avanços perceptíveis nos anos anteriores. O encontro é realizado com o intuito de analisar as metas e avaliar eventuais ajustes de acordo com as mudanças que vão ocorrendo no mercado.

Demais prioridades do projeto

Tornar o mercado mais robusto, seguro e transparente, além de auxiliar no crescimento em volume e no crescimento das oportunidades de negócios também compõem as metas da associação. Confira as outras prioridades estratégicas pontuadas pelos membros da associação:

– Promover o aperfeiçoamento tributário nos mercados financeiro e de capitais;

– Fortalecer a representação e a coordenação dos interesses dos associados local e internacionalmente;

– Promover a educação financeira.

Para Denise, é fundamental que os profissionais sejam capazes de auxiliar os clientes a investirem de maneira adequada, lidando com mais risco e prazos mais longos.

O mercado de capitais é um sistema de distribuição de valores mobiliários, composto pelas bolsas de valores, sociedades corretoras, entre outras instituições financeiras. Para atuar na área é preciso qualificação e atualização constante.

Matricule-se no MBA Mercado de Capitais da FIPECAFI e compreenda os produtos e a gestão dos ativos que compõem a área.

O que envolve o universo atuarial?

Instituições de seguros e de previdência privada lidam com a gestão de ativos e de pensões, envolvendo a análise de riscos e expectativas financeiros e econômicos. Profissionais responsáveis pela administração delas precisam dominar uma série de conhecimentos em economia, administração, contabilidade, matemática, finanças e estatística, para entender os modelos atuariais elementares.

Os conceitos atuariais são aplicáveis em todos os ramos de negócios. Os estudos na área dividem-se basicamente em questões tratadas a longo (aposentadoria, pensões, seguros de vida e saúde) e a curto prazo (seguros de automóveis e responsabilidade civil). O desenvolvimento de produtos mais sofisticados e complexos tem feito o mercado demandar por profissionais com habilidades atuariais.

Esteja preparado para o moderno mundo dos negócios e seus riscos adjacentes: MBA Gestão Atuarial e Financeira da FIPECAFI. O curso tem mais de 15 anos de existência e é ministrado por professores inseridos no mercado e em projetos de pesquisas, trazendo o que há de mais atual para as salas de aula.

Não perca a chance, matricule-se!

A importante decisão de atuar no setor público

A crise financeira de 2008 ocasionou incertezas na economia, aumentando o número de recém-formados que planejam obter estabilidade através da carreira no setor público. Dados divulgados pelo IBGE, sobre o ano de 2012, divulgaram que o governo brasileiro empregava cerca de 3,2 milhões de pessoas.

Considerada a maior motivação deste tipo de trajetória, a estabilidade contraria a busca por uma carreira profissional desafiadora e a oportunidade de contribuir diretamente na edificação de políticas para um Brasil melhor. Quem pensa que atuar no setor público é sinônimo de pouco trabalho, engana-se. As questões mais complexas estão concentradas na esfera pública.

Os gestores exigem formação acadêmica específica e qualificada, para modernizar o serviço oferecido à sociedade. Querer fazer a diferença e se contentar com conquistas diárias são dois pontos importantes para fazer carreira no setor público. Muitas vezes os profissionais têm seus projetos impedidos ou modificados devido a empecilhos, como cortes no orçamento e conflitos políticos. Nestes casos é preciso “pensar fora da caixa” e buscar formas inovadoras para pôr o projeto em prática.

Se você exerce ou tem interesse em exercer atividades relacionadas às áreas de gestão, planejamento, orçamento, controle interno, controle externo, licitação e contratos, conheça o MBA Contabilidade Pública da FIPECAFI. Adquira conhecimentos sobre as normas brasileiras e internacionais de contabilidade aplicadas ao setor público.

Matriculando-se até 27/02 você ganha 5% de desconto! Confira as condições com a nossa central de informações: (11) 2184.2020 ou comercial@fipecafi.org.

Como se destacar na carreira?

Em meio a um mercado cada vez mais aquecido e disputado, é importante estar atento a alguns fatores para conquistar os melhores cargos e oportunidades.

Nós da FIPECAFI separamos algumas dicas para você se diferenciar:

1)      Não realize apenas as tarefas que chegam até você. Procure ajudar colegas de trabalho com suas atividades e busque soluções para problemas gerais.

2)      Aprender ou exercitar outros idiomas como inglês e espanhol proporcionam diferenciais na disputa por uma vaga ou por uma promoção. Com as diversas negociações internacionais existentes, os profissionais precisam compreender os termos técnicos em outra língua, mas também não podem deixar de dominar o português.

3)      A ética e o caráter são primordiais para os lados profissional e pessoal de qualquer indivíduo.

4)      Procurar conhecer bem a empresa que deseja fazer parte ou a que já integra é muito importante. Quanto mais informações você tiver, mais prático será realizar suas atividades e trazer resultados positivos para a organização.

5)      Todas as áreas de uma empresa são interligadas, ou seja, uma depende da outra. Por isso, é importante saber trabalhar em equipe, ouvir e estar aberto às ideias dos colegas de trabalho.

6)      Quem para na graduação fica para trás. É importante participar de palestras, seminários, investir em certificações, línguas estrangeiras e cursos de MBA, Especialização, Extensão, entre outros.

Para auxiliar nessa jornada, a FIPECAFI proporciona o desconto de 5%, no valor total dos cursos de MBA e Especialização, para todos os matriculados até 27 de fevereiro. Aproveite!

Confira as grades participantes:

MBA

Especialização

Dissertação de mestrado demonstra que notas “incompreensíveis” redundam em análises ineficientes

O Mestre Roberto Bomgiovani Cazzari e seu orientador Prof. Dr. Luiz Paulo Lopes Fávero, Diretor de Cursos e Coordenador-geral do Programa de Educação Executiva da FIPECAFI, venceram Prêmio de 2014 do Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo. A dissertação de Roberto Bomgiovani Cazzari teve como tema: “A compreensibilidade das informações contábeis e sua relação com os custos de transação sob a ótica dos profissionais de investimentos”, apresentada na Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo (FEA-USP).

A dissertação buscou responder ao seguinte problema de pesquisa: “Há indícios de que notas explicativas das demonstrações financeiras que sejam menos compreensíveis, na visão de profissionais de investimento, conduzem a custos de transação maiores no estabelecimento de contratos?”.

Para tanto, foram submetidos questionários aos participantes do 22º Congresso APIMEC (Associação dos Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado de Capitais) por ser um evento que congrega os atores sociais que se buscou estudar. No total, 54 pessoas responderam ao questionário proposto. Foram obtidas evidências quando da análise descritiva e de conteúdo de que o processo de decodificação das notas explicativas pode estar associado a um grande dispêndio de tempo, o que aumentaria o custo de transação.

“Sob a situação de tempo escasso e um grande custo de decodificação das notas explicativas, pode-se conjecturar que algumas análises estejam sendo feitas de modo ineficiente”, observou Roberto Bomgiovani Cazzari.

“Verificou-se indícios de que há excesso de informações e não falta das mesmas, o que conduziria a problemas de informação imperfeita”, concluiu Cazzari.

Professores da FIPECAFI recebem Prêmios por Melhor Tese e Melhores Dissertações 2014 do CRC SP

A Comissão de Desenvolvimento Científico do CRC SP (Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo) divulgou os vencedores do Prêmio de Melhor Tese e das Melhores Dissertações de 2014.

Os Prêmios objetivam valorizar o trabalho acadêmico produzido por Doutores e Mestres das principais universidades e foram entregues em solenidade, em 15 de dezembro de 2014, na sede do CRC SP.

Os componentes da Comissão parabenizaram os 16 autores que enviaram seus trabalhos.

Vencedora na categoria Prêmio de melhor Tese de Doutorado de 2014:

A Professora da FIPECAFI (Fundação Instituto de Pesquisas Contábeis, Atuariais e Financeiras) e Doutora Camila Pereira Boscov e seu orientador Prof. Dr. Luiz Nelson Guedes de Carvalho, Diretor de Pesquisas da FIPECAFI, com o tema: “Mudanças organizacionais observadas durante o processo de implementação dos pronunciamentos do CPC baseados nas IFRS”, da Universidade de São Paulo (USP).

Vencedores na categoria Prêmio das melhores Dissertações de 2014:

1º lugar: Mestre Ahmed Sameer El Khatib e seu orientador Prof. Dr. Sérgio de Iudícibus, membro do Conselho Curador da FIPECAFI, com o tema: “Contabilidade Islâmica: uma análise comparativa das diferenças e semelhanças entre as normas contábeis internacionais emitidas pelo AAOIFI e Iasb”, da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo – PUC SP.

2º lugar: Professor da FIPECAFI e Mestre Samir Sayed e seu orientador Prof. Dr. Bruno Meirelles Salotti e Professor da FIPECAFI, com o tema: “O uso do valor justo e suas relações com os valores de mercado das Instituições Financeiras”, da Universidade de São Paulo ( USP).

3º lugar: Mestre Roberto Bomgiovani Cazzari e seu orientador Prof. Dr. Luiz Paulo Lopes Fávero, Diretor de Cursos e Coordenador-geral do Programa de Educação Executiva da FIPECAFI, com o tema: “A compreensibilidade das informações contábeis e sua relação com os custos de transformação sob a ótica dos profissionais de investimentos”, da Universidade de São Paulo (USP).

 

O que fazer quando o futuro bater à porta?

O último ano do colégio é o que mais lhe cobram responsabilidade, certo? É a famosa hora de decidir o futuro profissional.

Quando escolhemos uma carreira, acreditamos que iremos atuar nela por toda a nossa vida. Mas antes de decidir, é importante avaliar alguns fatores, como a identificação com a área, enxergar-se atuando no ramo e as oportunidades no mercado. Procure também conversar com profissionais atuantes, para entender melhor o dia a dia da profissão.

Na Grande São Paulo, a média do salário inicial de um contador é de R$ 3.532,00. A informação veio de levantamentos realizados pela consultoria Hoper Educação e pelo Grupo Employer de recursos humanos, a pedido da Folha de São Paulo. Esse valor corresponde a quase três vezes a mensalidade de uma graduação na área, confirmando um retorno positivo.

A Graduação em Ciências Contábeis da Faculdade FIPECAFI oferece a oportunidade aos alunos de realizarem estágios supervisionados, facilita o relacionamento com renomadas instituições de ensino nacionais e internacionais e proporciona o suporte tecnológico necessário durante as aulas. Aprovado com nota máxima (5) pelo MEC, o curso ainda conta com um corpo docente de alto nível, atuantes no mercado.

O que você está esperando para ingressar com o pé direito na carreira? Agende sua prova de vestibular 2015: http://goo.gl/5sIBpu.

Eliseu Martins, presidente do Conselho Curador da FIPECAFI, recebe o Prêmio Professor Notável do CRC SP

O Prof. Dr. Eliseu Martins, presidente do Conselho Curador da FIPECAFI, recebeu o “Prêmio Professor Notável”, em solenidade, na noite de 15 de dezembro de 2014, na sede do CRC SP (Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo).

Claudio Avelino Mac-Knight Filippi, presidente do CRC SP, informou que o Prof. Dr. Eliseu Martins foi vencedor por unanimidade na Comissão de Desenvolvimento Científico do CRC SP que divulgou o Prêmio Professor Notável de 2014. O prêmio valoriza o acadêmico que se dedica ao ensinamento da ciência contábil.

O Prof. Dr. Eliseu Martins que recebeu o Diploma de Honra ao Mérito do Prêmio Professor Notável 2014 é: Instituidor da FIPECAFI. Atual Presidente e Membro Nato e Vitalício do Conselho Curador da Fundação; é Professor Emérito da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo. Autor e coautor de livros, teses e artigos. Ex-Diretor da Comissão de Valores Mobiliários em duas gestões e do Banco Central. Consultor, palestrante e parecerista na área contábil. Conselheiro de Administração e Fiscal de diversas empresas. Membro do CPC – Comitê de Pronunciamentos Contábeis e detentor da Medalha João Lyra pelo Conselho Federal de Contabilidade.

Para 2014, após análise minuciosa de todos os candidatos, a Comissão, por unanimidade, escolheu dentre os excelentes candidatos o Prof. Dr. Eliseu Martins, da Universidade de São Paulo, por apresentar um nível de reconhecimento acadêmico irrefutável.

Eliseu Martins

Mineiro de Albertina, nascido em 1945, dirigiu a Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo (FEA-USP) de 1998 a 2002. Profissional de prestígio, tem trabalhado ao longo de sua carreira tanto para a melhoria do ensino da Contabilidade nas universidades quanto para a praticidade da vida profissional dos profissionais da Contabilidade.

Filho de pai agricultor e mãe dona de casa, o jovem Eliseu jamais cogitara a carreira contábil, seu sonho era a mineralogia. No entanto, perdido na mocidade, acompanhou um amigo à banca de inscrições do vestibular da FEA e, movido por um impulso ocasional, inscreveu-se também.

No primeiro ano de curso básico, a Contabilidade o fisgou. Mais tarde, Eliseu prestou monitoria aos professores Alkindar de Toledo Ramos e Sérgio de Iudícibus na disciplina de Contabilidade Geral e decidiu-se, então, pela carreira acadêmica.

Graduou-se em 1967 e tornou-se professor assistente do Departamento de Contabilidade e Atuária já no ano seguinte a convite de Iudícibus. Neste momento da vida, largou emprego de funcionário do Banco do Brasil em favor da universidade e casou-se com Débora Aversari, com quem teve dois filhos: Vinícius e Eric.

Em 1973, concluiu Doutorado em Controladoria e Contabilidade pela FEA-USP. Em 1978, alcançou a Livre-Docência pela mesma faculdade. E, no decorrer dos anos, realizou cursos de especialização na FEA, na Universidade de Illinois, EUA, no INSEAD, França, entre outros.

Em 1983, assumiu o papel de Professor Adjunto. E ascendeu a Professor Titular da FEA em 1987.

De 1991 a 1994, exerceu função de Chefe de Departamento de Contabilidade e Atuária da FEA. E em 1998, tomou posse da cadeira de Diretor.

Em seus quatro anos à frente da FEA, Eliseu concluiu a reforma do prédio FEA 1, emancipou a FEA Ribeirão Preto, criou o Programa de Extensão de Serviços à Comunidade (Pesc) e trabalhou para o fortalecimento e estreitamento das relações entre os Departamentos, as Fundações e a Direção da Faculdade, além de colocar a FEA em maior evidência dentro da USP.

No âmbito da Faculdade, foi ainda coordenador da Pós-Graduação em Contabilidade e Atuária e da Comissão de Pós-Graduação. E presidiu a Fundação Instituto de Pesquisas Contábeis, Atuariais e Financeiras (Fipecafi) por duas vezes e o Instituto Brasileiro de Pesquisas Contábeis Atuariais e Financeiras (Ipecafi).

Na esfera da Universidade de São Paulo, Eliseu foi membro do Conselho Universitário e da Comissão de Orçamento e Patrimônio (COP). E cooperou como organizador do Estudo Previdenciário da Universidade.

Foi diretor da CVM entre os anos de 1985 e 1988, quando implantou a Correção Monetária Integral no Mercado de Capitais no Brasil, modelo exportado e adotado por diversos países e organizações.

No governo, representou o Brasil junto à Organização das Nações Unidas (ONU) como integrante do Grupo Intergovernamental de Especialistas em Contabilidade e Informação entre 1987 e 1990. Atendeu ainda como Diretor de Fiscalização do Banco Central do Brasil de 1990 a 1991.

Exerceu também os cargos de assessor do secretário da Fazenda do Município de São Paulo e assessor do presidente do Tribunal de Contas do Estado de São Paulo.

Eliseu colaborou muito para a Contabilidade sendo autor e co-autor de livros de grande importância. Entre os quais, foi coautor de “Contabilidade Introdutória”, o grande ‘best-seller’ da disciplina, autor de “Contabilidade de Custos”, o livro mais vendido até hoje nessa área no Brasil, e coautor de “Contabilidade das Sociedades por Ações”, livro encomendado pela CVM que revolucionou a comunidade contábil a ponto de modificar sensivelmente a vida prática dos profissionais da Contabilidade.

Entre as homenagens recebidas, figura o Prêmio Prof. Eliseu Martins. Trata-se de um Prêmio que leva seu nome oferecido pela Fundação Instituto Capixaba de Pesquisas em Contabilidade, Economia e Finanças (Fucape) às melhores monografias da área de negócios.

Foto Prof. Dr. Eliseu Martins

FIPECAFI realiza Workshop “Cenário Atual e Tendências da Tributação Internacional do Brasil”

A FIPECAFI (Fundação Instituto de Pesquisas Contábeis, Atuariais e Financeiras) realizou, em 20 de outubro de 2014, a partir das 19 horas, o Workshop: “Cenário Atual e Tendências da Tributação Internacional do Brasil”.

O Prof. Dr. Iran Siqueira Lima, Presidente da FIPECAFI, abriu a solenidade com a apresentação das atividades da Fundação.

O evento teve a Coordenação do Professor Dr. Carlos Alberto Pereira, Professor da FIPECAFI e da FEA-USP (Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo), que destacou a abertura das inscrições para o curso de extensão “Tributação Internacional” em parceria com a ABDF (Associação Brasileira de Direito Financeiro).

O curso de extensão terá módulo local (54 horas) e opcional (no exterior, 50 horas) a ser realizado na Universidade de Miami (EUA) com a coordenação da Profa. Patrícia Brown, uma das maiores autoridades em matéria de tributação internacional, tendo trabalhado para Departamento do Tesouro Americano como Advogada no Gabinete de Tributação Internacional, quando foi responsável por supervisionar e coordenar o programa americano de tratados tributários, envolvendo-se pessoalmente na negociação dos tratados tributários assinados entre 1999 e 2008. Em 2007, passou a ser consultora da OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico), desenvolvendo políticas e procedimentos relativos à tributação internacional de investidores institucionais.

Profissionalismo – Profissionais interessados lotaram o auditório da FIPECAFI. O Professor Heleno Torres, Professor Titular do Departamento de Direito Econômico, Financeiro e Tributário da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP), enfatizou, em sua palestra, que trabalhar com “Tributação Internacional não é para amadores e exige especialização”. “Há uma preocupação corporativa com a pluritributação internacional sobre as rendas das empresas, ao mesmo tempo que os governos buscam recuperar as bases tributárias”, declarou.

A Professora Dra. Ana Cláudia Akie Utumi, Professora da FIPECAFI, destacou que a tendência é de crescente troca de informações entre os governos. “Em 2017, 44 países vão trocar informações automáticas e com base de dados do ano de 2015”, declarou. A vontade de arrecadar mais se intensificará nos próximos anos com a integração de dados fiscais entre governos, afirmou a Profa. Ana Cláudia Utumi.

O Professor Dr. Carlos Alberto Pereira, Professor da FIPECAFI, enfatizou em sua palestra de encerramento do evento que esses tempos desafiadores exigem cada vez mais  trabalho interdisciplinar, dada a complexidade dos temas.

Curso – O curso de extensãoTributação Internacional” tem como público-alvo: administradores, advogados, contadores, economistas, gerentes, supervisores, analistas, assistentes, autônomos, professores e estudantes.

O curso foi desenhado para atender necessidades dos profissionais das áreas contábil, jurídica, financeira e de comércio exterior das empresas, bem como dos profissionais liberais que lidam com transações internacionais.

Mais informações:

Curso de Extensão em Tributação Internacional da FIPECAFI

Clique aqui