O papel da liderança feminina no Século XXI

 

No dia 8 de Março é comemorado o “Dia Internacional da Mulher” e aproveitamos o mês de homenagens e reconhecimentos para destacar o papel da liderança feminina no Século XXI, pois hoje elas possuem altos cargos em grandes empresas e são responsáveis por uma parcela significativa do mercado de trabalho, mas tiveram que se esforçar para mostrar suas competências e conquistar seu espaço.

As mulheres, segundo a Organização Mundial do Trabalho (OIT), mesmo representando mais de 49% do mercado de trabalho mundial, temos pouca representatividade em cargos de liderança.

Uma pesquisa Woman in Business, da consultoria Grant Thornton e feita com mais de 2.500 empresas em 36 países, nos mostra o retrato da liderança feminina no mercado de trabalho e de como essa questão, mesmo avançando muito nos últimos anos, ainda é um grande desafio para empresas do mundo todo.

Por exemplo, no Brasil, em 2017 apenas 16% dos presidentes de empresas eram mulheres e, por incrível que pareça, esse índice melhorou muito se olharmos para os 11% em 2016 e, apenas, 5% em 2015.

O Brasil, mesmo com um índice baixo, está à frente da média global de 12% de mulheres nos cargos de presidências e CEOs. Com 40%, a Tailândia, é o pais com mais mulheres nesse cargo. Os países que detém os piores índices são: Nova Zelândia, com 2% e Austrália e Irlanda, com 3%.

Nessa série de 4 artigos, as mulheres são convidadas a trabalhar uma mudança interna para que, a partir daí, haja um movimento de estabelecer metas, desenvolver talentos e potencialidades, superar crenças limitantes, aumentar o engajamento, favorecendo o desenvolvimento físico, financeiro, emocional e intelectual.

1.      Histórias de liderança feminina no mercado mundial.
2.      Histórias de liderança feminina no mercado brasileiro.
3.      Histórias de liderança feminina na FIPECAFI.
4.      Como se preparar e se permitir a ocupar um cargo de liderança?

Ruth Porat, é a presidente financeira na Google e deixou o do Morgan Stanley, deixará o banco para ocupar o mesmo cargo na Google. A executiva entrou no banco em 1987, e dirigiu o setor de investimentos para companhias de tecnologia durante o auge da internet, tendo trabalhado com empresas como Amazon.com e eBay. 

      

 

Sheryl Sandberg lançou o livro “Lean in: Women, work, and the will to lead” sobre as desigualdades de gênero e a falta de mulheres em cargos de liderança no trabalho, ela é diretora desde 2008 do Facebook.

 

Michelle Bachelet preside o Chile desde 2014. Ela pertence ao Partido Socialista do Chile, e já foi presidente do país entre 2006 e 2010. Ela foi a primeira mulher a ocupar o cargo de ministra da Defesa na América Latina e a primeira mulher a se eleger para a presidência do Chile.

 

Mary Barra trabalhou por 33 anos na General Motors antes de se tornar a primeira mulher a ocupar o cargo de CEO da principal montadora americana. Antes de ocupar o cargo, em 2014, a executiva era vice-presidente de desenvolvimento mundial de produtos, compras e da rede de abastecimento do grupo.

 

Chanda Kochhar é diretora-geral e presidente do ICICI Bank, da Índia, Kochhar supervisiona quase US$ 125 bilhões em ativos. Ela foi creditada como uma liderança cuja transformação na empresa que experimentou grandes reveses após a crise financeira de 2008 é notável. O ICICI é o segundo maior credor da Índia e o maior banco do setor privado do país.

 

Para mais informações, consulte:

https://www.grantthornton.com.br/insights/articles-and-publications/women-in-business-2017/

http://www.ilo.org/brasilia/noticias/WCMS_546625/lang–pt/index.htm

AUTORAS

Denise de Freitas Bittar-Godinho Coordenadora do MBA Controller da Faculdade FIPECAFI. Formada em Ciências Contábeis e Administração de Empresas, com MBA em Finanças pela FIA, Mestranda pela FEA-USP em Contabilidade. Com mais de 10 anos de experiência de mercado em auditoria e controladoria multinacionais, em treinamentos corporativos e coordenadora do curso MBA Controller na FIPECAFI.

 

Marina Martins Brito Cunha Coordenadora da Pós-Graduação em Contabilidade, Controladoria e Finanças – CEFIN da Faculdade FIPECAFI. Formada em Economia, com especialização em Administração pela POLI, MBA em economia e setor financeiro pela FEA USP , Master Degree pela Universidade de Grenoble 2 , Pierre Mendes , França em economia internacional e globalização com ênfase em economia empresarial e engenharia economia, e Mestre em contabilidade e finanças pela PUC-SP. Com 20 anos de experiência no mercado financeiro e de capitais em instituições nacionais e internacionais.

Leave Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *