Mercado de trabalho em 2015 é favorável a profissionais de finanças

O mercado de trabalho este ano tem seguido uma linha cautelosa quanto a investimentos e controle financeiro por parte das organizações. O cenário anda favorável aos profissionais de finanças, já que é a área que mais está em evidência nas empresas.

Recrutadores entrevistados pela Exame afirmaram que boa parte das empresas não conseguiu bater suas metas no ano passado, tornando necessária a presença de um profissional para organizar este objetivo e realizar a gestão financeira da empresa, maximizando sua rentabilidade.

Gerente ou diretor de planejamento financeiro, gerente de planejamento tributário, gerente ou diretor de compliance e controles internos, controller, diretor financeiro e executivo de governança corporativa são alguns dos cargos que se manterão em alta este ano.

As funções exigem graduados em Administração, Economia, Engenharia ou Ciências Contábeis, além de pós-graduação na área financeira. Conheça as grades de curso da FIPECAFI e aprimore seu currículo para uma carreira de sucesso.

Graduação em Ciências Contábeis 

MBAs

 

Fonte: Portal Exame

Controles internos: ideal para quem gosta de desafios

As áreas financeira, contábil e afins exigem que os profissionais envolvidos tenham uma ampla visão em negócios para melhor entenderem as atividades empresariais e desempenharem seus papéis da melhor maneira. Evitar fraudes, erros e crises nas empresas é a principal função da área de controles internos. O agente de compliance é responsável também pelo planejamento organizacional e demais atividades que defendam os ativos, analisem a adequação e o suporte de informações contábeis, gerando uma eficiência operacional.

Superar todos estes desafios não é para qualquer um. O mercado passa por um constante processo de mudanças, competitividade, riscos, ética e transparência. Com o MBA Controles Internos da FIPECAFI você conquista a segurança necessária para driblá-los. Além de motivar e estimular os participantes a operacionalizarem estratégias, implementarem mudanças e alcançarem objetivos, o curso ainda promove debates e exposições para melhor aproveitamento do conhecimento adquirido.

As inscrições ainda estão abertas. Aproveite!

Formatura de diversos cursos da FIPECAFI reúne alunos e professores

O evento aconteceu no Club Homs, em São Paulo, na noite do último dia 07

Em um encontro animado, cheio e diversificado, alunos e professores comemoraram a conclusão de várias turmas de diferentes cursos da instituição. Os MBAs Gestão Atuarial e Financeira, Controles Internos, Controller, Governança Corporativa, Gestão Tributária, IFRS, Mercado de Capitais, Finanças, Comunicação e Relações com Investidores, Finanças e Risco e Supply Chain & Logística Integrada, em sua maioria, formaram mais de uma turma, assim como a especialização em Contabilidade, Controladoria e Finanças, que formou oito.

O professor Dr. Iran Siqueira Lima, presidente da FIPECAFI, cumprimentou os formandos pela “grande vitória” e fez um breve discurso a respeito das atividades desenvolvidas pela fundação. O prof. Dr. Edgard Cornacchione Junior, chefe do Departamento de Contabilidade e Atuária da FEA-USP, destacou a parceria com a FIPECAFI, parabenizou os formandos e falou a importância dos cursos na vida profissional dos formandos.

A formatura também contou com a presença dos presidentes do IBRI (Instituto Brasileiro de Relações com Investidores), Geraldo Soares, e da APIMEC SP (Associação dos Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado de Capitais), Ricardo Tadeu Martins, que congratularam os alunos dos cursos que contam com a parceria das instituições: MBA Finanças, Comunicação e Relações com Investidores – IBRI – e MBA Mercado de Capitais – APIMEC SP.

Profissão de Compliance ganha destaque em bancos

Cargo é cada vez mais importante nas instituições financeiras e exige preparo e especialização

A sessão Empregos e Carreiras, do site Folha de São Paulo, listou 21 cargos que estão em alta e um deles é o de compliance. A carreira é nova no mercado e profissionais de controles internos ainda são escassos. Ainda não existe um curso superior nessa área e, geralmente, os colaboradores que atuam nela vem de dentro da própria empresa, de outros setores, depois que fazem algum tipo de especialização.

A função tem como principal objetivo fiscalizar as movimentações financeiras da instituição, coibindo qualquer tipo de desvio ou lavagem de dinheiro. O setor é de vital importância e, por isso, vem crescendo e demandando cada vez mais profissionais capacitados. O cargo costuma ser bem remunerado, mas é necessário muito preparo. Um principal ponto a ser explorado sobre o assunto é em relação a lei Fatca (Foreign Account Tax Compliance Act) que, desde 2010, obriga as instituições financeiras a fornecer informações (responsible officer) a respeito das relações bancárias de contribuintes norte-americanos no exterior.

A FIPECAFI oferece o MBA Controles Internos que forma agentes de compliance preparados para enfrentar todo o processo de mudança, competitividade e riscos da área, sempre com ética e transparência. O curso tem início previsto para agosto.

Clique aqui e obtenha todas as informações sobre a próxima turma.

Veja a matéria completa sobre os cargos em ascensão, no site da Folha: http://goo.gl/01RS2N

Limites de blindagem são evidentes

Sem título

Veículo: Valor Econômico

Governança corporativa não é sinônimo de estratégia de negócio, mas afeta a taxa de sucesso de uma empresa. Principalmente quando falha. Excesso de concentração de poder dos dirigentes, conselhos de administração ineficazes, passividade do investidor, erros de auditorias e agências de rating e regulação deficientes são apontados pelos especialistas como as causas mais comuns para casos que com alguma regularidade surpreendem e até abalam o mercado.

O caldo de cultura que inevitavelmente empurra o negócio para o fracasso também costuma ter como ingredientes, segundo os especialistas, uma atmosfera interna de ganância e arrogância, ausência de ética no topo da organização, ilusão de sucesso do negócio e governança corporativa apenas como ferramenta de marketing.

Os limites de blindagem têm exemplos emblemáticos. Instituições tradicionais como os bancos Société Générale e Lehman Brothers, a Satyam Computer, a seguradora AIG e a fabricante de produtos óticos Olympus são algumas das vítimas de desvios nos processos, políticas e leis que regulam a maneira como uma empresa é dirigida. No Brasil, Sadia, Aracruz e os bancos Santos, Cruzeiro do Sul e Panamericano integram a lista. A Siemens, que aparece nas suspeitas de cartel no Metrô de São Paulo, já havia pagado multas somadas de US$ 1,6 bilhão aos reguladores americano e alemão por ter trocado com governos de diferentes países contratos por propinas estimadas em US$ 1,4 bilhão, entre 2001 e 2008, embora o relatório anual de 2005 afirmasse que “nossa meta é nos tornarmos os melhores da classe em governança corporativa, sustentabilidade e cidadania corporativa […]. Regras e diretrizes asseguram que todas as nossas negociações são éticas e aderentes às exigências legais.”

O mais novo caso emblemático é o que envolve as empresas do grupo OGX, do empresário Eike Batista. O valor do grupo, que chegou a ser avaliado em R$ 98 bilhões, hoje não passa de R$ 2 bilhões. “Há sinais bem significativos de gap de governança na OGX. Alguma coisa contaminou outras empresas do grupo e isso pode ser explicado pelo compartilhamento de conselheiros. Em bancos, o efeito contágio é evidente e bem regulado, mas em empresas não financeiras é pouco explorado”, diz o professor Wesley Mendes, da FGV/Eaesp.

“O caso da empresa X é de evidente má governança. Em muitos casos a governança corporativa é apenas uma ferramenta de marketing e de check list mais voltada ao fortalecimento da imagem da empresa do que a princípios éticos e de aprimoramento da gestão”, afirma Alexandre Di Micelli, da Fipecafi.

Sempre um passo a frente, a Faculdade FIPECAFI oferece o MBA Controles Internos, que pode ajudar os profissionais a terem uma visão global de negócios e o entendimento conceitual e operacional das diversas atividades empresariais. Assim, a governança corporativa torna-se uma ferramenta de extrema importância, e não mais uma estratégia de marketing.

Para saber mais sobre o curso e fazer sua inscrição, clique aqui.

Inscrições abertas para o MBA Controles Internos (Compliance)

A Faculdade FIPECAFI, mantida pela Fundação Instituto de Pesquisas Contábeis, Atuariais e Financeiras, abre inscrições para o MBA Controles Internos. O curso oferece, além de uma visão global de negócios, o entendimento conceitual e operacional das diversas atividades empresariais.

O MBA está focado em preparar o agente de Compliance para entender os negócios, afim de que possa melhor conduzir sua área de atuação em meio a todo esse processo de mudanças, competitividade, riscos, ética e transparência.

O curso destina-se a profissionais ligados às áreas de controles internos (compliance), auditoria, risco, finanças e demais interessados em adquirir conhecimentos na área de controles internos.

O objetivo é instrumentalizar os participantes com conceitos técnicos no campo de controles internos, e motivar a indução e estímulo dos gestores nas ações de operacionalização de estratégias, implementação de mudanças e de alcance dos objetivos.

A duração do programa é de 377 horas, distribuídas em 18 meses. As aulas têm início em agosto de 2013 e acontecem nas segundas, quartas e quintas-feiras, das 19h30 às 22h30.

Saiba mais sobre o MBA Controles Internos (Compliance) da Faculdade FIPECAFI.

Telefone para informações: (11) 2184-2020

E-mail: coordenadoria.mba@fipecafi.org

Controles Internos: uma visão global de negócios

A ação de Controles Internos existe para atender as decisões administrativas a fim de promover o cumprimento de metas e objetivos de uma empresa. O principal objetivo desse profissional é em proteger os bens do seu local de trabalho. Segundo Antunes (1988), o risco de emitir uma opinião tecnicamente incorreta sobre demonstrações contábeis, é a preocupação fundamental dos auditores no Brasil e no mundo.  Dessa forma, é necessário que estes trabalhadores sejam providos de um julgamento confiável e que trabalhem com precisão, clareza e transparência.

Em sua dissertação, Antunes afirma existir uma série de procedimentos no dia a dia dos auditores para a avaliação de controles internos e dos riscos de auditoria. Esse mecanismo deve ser empregado de forma sistemática e ordenada a partir da seguinte metodologia:

– Quais são as normas brasileiras e internacionais que orientam ou regulam esta matéria?

– Quem são os organismos normatizadores?

– Qual a profundidade e eficácia destas normas brasileiras, em comparação com as internacionais?

– O que os auditores independentes brasileiros têm disponível como guia em seus trabalhos, para avaliação de risco e controles internos?

Essa visão global de negócios exige um entendimento conceitual e operacional das diversas atividades empresariais. São necessários conceitos técnicos no campo de controles internos, além de motivação e estímulo dos gestores nas ações estratégicas.

A Faculdade FIPECAFI oferece o curso MBA Controles Internos com o objetivo de preparar o participante no processo de entendimento de negócios, afim de que possa melhor conduzir sua área de atuação em meio a todo esse processo de mudanças.

Saiba Mais.

 

ANTUNES, Jerônimo. Contribuição ao estudo da avaliação de risco e controles internos na auditoria de demonstrações contábeis no Brasil. São Paulo, 1988.

Profissão de Controller exige novos atributos!

 

Em função do aumento da complexidade organizacional das empresas, as exigências para evoluir na profissão de Controller passam por algumas reformulações. Hoje, é necessário que o profissional domine requisitos que não pertencem exclusivamente ao campo de sua formação técnica.

Há 10 anos esperava-se que o profissional de Controladoria mantivesse como prioridade o controle do plano de operações da empresa, emissão de relatórios, além de reportar e interpretar os resultados das operações dos diversos níveis gerenciais. Entretanto, o Controller de hoje também precisa possuir conhecimentos de “capital humano”, como ter a capacidade de gerenciar pessoas, dominar a comunicação, línguas estrangeiras e ter espírito de liderança. “Um dos atributos mais valorizados pelo profissional de controladoria é saber influenciar pessoas e ter aptidão para vender bem seus projetos”, afirma Rubens Lopes da Silva, vice-presidente da ANEFAC (Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade), que é associada à Faculdade FIPECAFI.

É importante que o Controller conheça a companhia de maneira homogênea, tenha conhecimento das operações que são realizadas e como essas operações podem impactar na contabilidade da organização. Dessa forma, as empresas valorizam o Controller que sabe manter relacionamento com os diversos departamentos.

Saiba como se preparar para ser um Controller de sucesso!

 

 

A importância da Matemática Financeira para as empresas

A Matemática Financeira é de extrema importância para o processo de tomada de decisões na empresa, e sua aplicação traz maior rentabilidade, maximizando os resultados.

A Matemática Financeira é um ramo da matemática que tem como objeto de estudo o comportamento do dinheiro ao longo do tempo. Esse tema avalia a forma como esse dinheiro é ou será empregado, visando maximizar o resultado.

A Matemática Financeira busca quantificar as transações que ocorrem no meio financeiro, levando em conta o valor monetário no tempo. No atual cenário de economia globalizada, nenhum projeto prossegue sem que sejam levados em conta todos seus aspectos financeiros.

Além disso, a Matemática Financeira também pode ser aplicada em diversas situações cotidianas, como calcular as prestações de um financiamento de um móvel ou imóvel optando pelo pagamento à vista ou parcelado. Dessa forma, estudo da Matemática Financeira se mostra como ferramenta essencial para qualquer pessoa que almeje entender o fluxo de capital em corrente pelo mundo.

Conheça o curso eLearning de Matemática Financeira da Faculdade FIPECAFI!

A profissão de Controller está em alta no país!

Você sabia que os primeiros profissionais de Controller vieram para o Brasil com as grandes corporações americanas após a 2ª Guerra Mundial?

A função do Controller surgiu com a chegada das multinacionais norte-americanas no país. Nessa época, esses profissionais vinham para ensinar as teorias e práticas de Contabilidade, implantando sistemas de controles e controlar as operações das empresas.

As empresas, confiantes no possível crescimento da economia brasileira, pretendem contratar mais profissionais ligados á Controladoria em 2013, o que aumenta a concorrência entre profissionais e a necessidade de maior qualificação.

 

Fonte: BBC Brasil

 

Se prepare com o MBA Controller Concentrado da Faculdade FIPECAFI!

Gestão de Risco: o que é Risco Operacional?

O risco operacional possui diversas conceituações e está relacionado a possíveis perdas como resultado de sistemas ou controles inadequados, falhas de gerenciamento e erros humanos. De acordo com estudos, o risco operacional é um dos quatro grandes grupos de risco, ao lado do risco de crédito, risco de mercado e risco legal.

Esse tipo de Risco está ligado às perdas potenciais resultantes de sistemas inadequados, falha de gerenciamento, falha nos controles, fraude ou erro humano, enquadrando-se dentre um dos tipos de riscos financeiros, ao lado do risco de crédito, risco de mercado, risco de liquidez e risco legal. Também é decorrente de perdas resultantes de processos internos falhos ou inadequados, pessoas e sistemas, ou eventos externos. A definição inclui risco legal, mas exclui risco estratégico e reputacional.

Como alguns tipos de eventos de risco operacional, temos fraudes internas e externas, práticas empregatícias e segurança no ambiente de trabalho, atividades indevidas praticadas por clientes, informações usadas indevidamente sobre produtos e práticas de negócios, danos a ativos fiscais, falhas no sistema e em processos de negociações, e erros em execuções e entregas.

Saiba mais sobre o MBA Gestão Financeira e Risco da Faculdade FIPECAFI.