Confira os depoimentos coletados durante o evento “Avanços e Desafios da Regulação e Prática da Contabilidade Aplicada ao Setor Público em Padrões Internacionais”

Durante o evento “Avanços e Desafios da Regulação e Prática da Contabilidade Aplicada ao Setor Público em Padrões Internacionais”, que ocorreu no dia 03 de março de 2015, na Sede da FIPECAFI, coletamos alguns depoimentos de pessoas que assistiram a palestra.

Confira e fique por dentro de nossas palestras:

Ayres Moura, sócio da EY

“Uma convergência para os padrões internacionais de contabilidade não é meramente um assunto contábil. Isso envolve principalmente o desenvolvimento da parte de sistemas informatizados, como apresentado na palestra de Leonardo Silveira do Nascimento, Coordenador-Geral do Tesouro Nacional sobre Normas de Contabilidade Aplicadas à Federação e também a parte do levantamento dos bens patrimoniais das entidades, sendo que muitos não são apresentados no balanço. Todos esses levantamentos demandam tempo, então acho que a coleta de informações e a informatização são requisitos fundamentais para essa implementação. A palestra agregou valor a minhas atividades, principalmente pelo esclarecimento do processo de conversão da contabilidade no Brasil com as normas internacionais.” (Ayres Moura, sócio da EY – Ernst & Young).

 

Meiri Mayumi Urashita, Especialista Contábil da Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo

“A capacitação continuada dos servidores será fator fundamental para o sucesso da convergência da contabilidade pública brasileira às Normas Internacionais de Contabilidade Pública. A contabilidade e a auditoria governamental são elementos essenciais para o efetivo controle social, de modo a facilitar o acompanhamento das políticas públicas, contribuindo para que essas ações se revertam em benefícios reais para o cidadão. Dessa forma o processo de convergência será fator vital para o processo de governança pública, evidenciando adequadamente a posição patrimonial dos entes. Os Padrões Internacionais de contabilidade pública são importantes e necessários para que todos possam compartilhar e comparar informações técnicas considerando-se os mesmos conceitos agregando maior qualidade. Para que a implementação seja realizada em curto prazo, as áreas de contabilidade e controle interno devem conduzir o processo de disseminação do conhecimento junto às unidades de planejamento, orçamento, finanças e patrimônio como forma de suporte aos novos procedimentos contábeis adotados, fortalecendo dessa forma a gestão pública. Para atingir a estrutura de contabilidade adequada, é necessária a reestruturação das áreas de contabilidade no setor público com a capacitação e especialização do quadro funcional. A palestra promovida pela FIPECAFI “Avanços e Desafios da Regulação e Prática da Contabilidade Aplicada ao Setor Público em Padrões Internacionais” com o palestrante Leonardo Silveira do Nascimento foi muito relevante para minhas atividades profissionais”. (Meiri Mayumi Urashita, Especialista Contábil da Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo)”.

 

Roseli Souza, especialista de soluções da SAP do Brasil

“A SAP Brasil é responsável  pela implementação de sistemas tecnológicos de grande porte no setor privado. A adoção das normas contábeis internacionais no setor público deve trazer novas oportunidades para as empresas de tecnologia.  A FIPECAFI  proporcionou com o evento a oportunidade para um aprimoramento do conhecimento sobre o tema. A palestra do Sr. Leonardo Silveira do Nascimento, coordenador-geral de Normas de Contabilidade Aplicadas à Federação trouxe uma atualização e oportunidade de diálogo para que os especialistas em contabilidade da SAP implementem as normas dentro do sistema de empresas do setor público. Precisamos colocar toda “essa inteligência no sistema para que se possa atender  às necessidades do setor público, inclusive com as atualizações  derivadas do Comitê de Pronunciamentos Contábeis”. Estamos trabalhando no assunto desde 2011, a palestra contribuiu para tirar dúvidas com relação a prazos, patrimônio, custeio. Concordo que há muito a ser feito, mas precisamos ir implementando.

A palestra atendeu plenamente minhas expectativas. Foi muito útil e interessante. Consolidou meu conhecimento e trouxe as perspectivas da implementação nas normas contábeis internacionais no setor público. Está de parabéns o palestrante e todos da FIPECAFI envolvidos com o evento”.

 

 

Custos no Setor Público

custo

Cristina de Jesus Martins da Silva*

A Contabilidade Pública está passando por um importante momento de mudanças de
foco e consequentemente das práticas contábeis. Essa nova visão busca resgatar no
setor público o Patrimônio como objeto de estudo da ciência contábil e desenvolver
mecanismos de avaliação e controle da administração dos recursos públicos.

Nesse contexto, o controle dos custos do setor público está sendo fortemente exigido pelos órgãos normatizadores, e pela sociedade como ferramenta de apoio à avaliação da
gestão pública. Esse estudo, portanto, teve por objetivo, analisar como está sendo
abordado o tema Custos no Setor Público, nos artigos apresentados no Congresso
Brasileiro de Custos, utilizando-se da pesquisa bibliográfica e documental.

Os resultados obtidos mostram uma tendência em se adotar a metodologia do Custeio ABC (Activity Based Costing) para apurar os custos dos serviços públicos. Como principais vantagens do método, está o fato de que os serviços concentram atividades o que pode facilitar o desenvolvimento do método e o tratamento dado aos custos fixos que são direcionados de uma forma mais julgada mais correta. As áreas mais focadas foram Educação e Saúde. A maioria dos estudos desenvolveu-se por meio de estudo de casos, que utilizam dados reais para testar metodologias de custeio.

De olho nesse contexto, a Faculdade FIPECAFI oferece o MBA Contabilidade Pública.

O curso  discute e aplica o arcabouço conceitual relativo às normas brasileiras e internacionais de contabilidade aplicadas ao setor público, bem como as bases jurídico-administrativas necessárias à aplicação e interpretação das referidas normas. O curso possui enfoque teórico-prático permitindo aos estudantes a solução de problemas relacionados ao seu ambiente de trabalho.

Saiba mais e faça sua inscrição clicando aqui!

SILVA, Cristina de Jesus Martins da. CUSTOS NO SETOR PÚBLICO: Análise dos artigos sobre o tema Custos no Setor Público apresentados no Congresso Brasileiro de Custos. Curitiba, 2011.

O Profissional de Gestão Pública

 

O profissional de gestão pública é encarregado das práticas dos setores da esfera pública (seja ele municipal, estadual ou federal) e dos três poderes (Legislativo, Executivo e Judiciário). Segundo o Professor Robson Zuccolotto, o gestor público pode atuar ainda em cargos de gestão em empresas estatais e organismos internacionais. Além disso, pode exercer liderança social e política e atuar em consultorias para órgãos públicos, nacionais e internacionais; prestar assessoria para empresas sobre assuntos governamentais, entre outras funções.

De acordo com Zuccolotto os profissionais da área são de grande importância para a sociedade, uma vez que planejar o uso do espaço e do dinheiro público de forma socialmente responsável, eficaz e satisfatória é de sua responsabilidade. Por esse motivo é fundamental que ele seja capaz de desenvolver com empreendedorismo e competência a gestão estatal. Para tanto, conhecer o ambiente legal, econômico, social e ambiental de seu país, bem como as ferramentas de gestão para elaboração, acompanhamento e avaliação das políticas publicas é fundamental para o gestor público que busca se destacar na atualidade.

O Professor ainda destaca a necessidade desse profissional para o mercado de trabalho, pois nos últimos anos a percepção de que os recursos são escassos e a introdução de procedimentos para aumentar a responsabilidade fiscal do Estado (União, Estados e Municípios), trouxe à tona a necessidade de profissionais cada vez mais preparados para lidar com o planejamento dos investimentos e custeios capazes de garantir o crescimento econômico e satisfação das necessidades sociais. Nesse ambiente, o papel do gestor público (concursado ou em cargo de comissão), torna-se demanda emergente e essencial.

Além disso, no mercado, o Gestor Público está apto para realizar consultorias e auditorias, assim como exercer sua função em instituições ligadas ao setor público.